fbpx

Confira cinco estratégias para a sua empresa fugir da inadimplência

17

OUTUBRO, 2019

Notícias

Indicador da Boa Vista SCPC apontou recuo de 3,4% no ano e de 3% no acumulado dos últimos 12 meses

Segundo dados nacionais da Boa Vista SCPC, a inadimplência caiu 1,8% em setembro na comparação com agosto e, desta forma, acumula queda de 3,4% no ano e de 3% nos últimos 12 meses (outubro de 2018 até setembro de 2019 frente aos 12 meses anteriores). Apesar do recuo, milhões de brasileiros seguem endividados, com contas vencidas e dificuldades para honrar os compromissos firmados. Ciente dessas dificuldades financeiras e do prejuízo causado no equilíbrio financeiro, a Câmara de Dirigentes Lojistas de Porto Alegre (CDL POA) montou algumas medidas para que a sua empresa fuja da inadimplência.

1)      Conheça a causa do problema

Entender o que deu errado no planejamento é o primeiro passo para recolocar a empresa no caminho desejado. Com uma análise adequada, conhecimento do fluxo de caixa e do perfil dos clientes é possível identificar os principais desafios a serem superados e quais as estratégias adequadas para amenizá-los. Busque, também, estabelecer objetivos de médio a longo prazo. Com uma meta definida, você poderá observar a evolução do dinheiro disponível em caixa e o tempo que será necessário para concretizá-la. A quitação das dívidas pode ser o primeiro desejo da lista.

2)      Identifique o cliente

Conhecer o perfil do cliente é um fator fundamental no planejamento financeiro da empresa. Para definir a liberação de crédito a determinado comprador, é preciso identificar o histórico de compras e pagamentos e saber se ele está inadimplente com outros comerciantes. Além de evitar prejuízos, essa estratégia poderá fazer com que o relacionamento com o cliente seja melhor, pois, com essas informações, será possível identificar o perfil do comprador, entender como ele prefere efetuar os pagamentos e negociar descontos vantajosos para as duas partes. Evitar cheques e preferir receber a vista também são dicas valiosas.

Outra estratégia interessante, caso a maior parte dos compradores da sua empresa seja de pessoas físicas, é sugerir o vencimento do débito no dia 10 de cada mês, pois é grande a chance de o cliente receber o pagamento no quinto dia útil.

3)      Negocie dívidas

Caso você não consiga honrar os compromissos da empresa, busque renegociar as dívidas com os credores. Faça um levantamento do valor devido e analise quais as instituições aceitariam negociar um acordo viável, vantajoso e que não comprometa a relação institucional com a sua empresa. Após firmar um novo compromisso para quitar os débitos, mantenha os pagamentos sempre em dia para não prejudicar a imagem e a credibilidade do seu comércio.

4)      Cobre e negocie com os inadimplentes

Assim como a sua empresa pode estar inadimplente, há a possibilidade de que parte dos seus clientes também estejam em débito com você. Ao identificar um atraso, busque cobrar o valor que lhe é devido, mas seja sútil com o devedor para não o afastar de futuros negócios. Para isso, é importante estabelecer uma política de cobrança que determine o atraso máximo tolerado, como será feita a notificação ao cliente e quais as penalidades serão adotadas.

Com um sistema de regras definidos e conhecimento do perfil dos clientes, a empresa pode categorizar os compradores em diferentes grupos, pois existem os que apenas esquecem de pagar as contas, os que estão endividados e optam por pagar outras pendências, ou alguns que não têm a intenção de quitar a dívida.

5)      Planejamento

Apesar de ser o último item desta lista, o planejamento deve ser desenvolvido a partir da identificação das causas que fizeram com que o seu negócio entrasse no vermelho. Reflita sobre o que deu errado e o que funcionou e ainda pode ser mantido daqui para a frente. Faça um balanço patrimonial da empresa para entender a posição dos negócios em relação aos custos e bens do comércio. Com este documento, você poderá verificar quais são os ativos (bens, estoque de material e aplicações financeiras), os passivos (dívidas, obrigações financeiras e contas a pagar) e o patrimônio líquido (diferença entre o valor dos ativos e passivos), que é o capital da empresa. Ter essas informações ajudará a planejar o futuro com mais domínio e segurança para você e para o seu negócio.